Blog do jovino machado


23/02/2014


7 PERGUNTAS PARA ANA LUIZA PARISI

01: Quem é Ana Luiza Parisi ?

 

Ana Luiza é uma menina espevitada, caçadora de aventuras, cultivadora de prazeres, sonhadora, que tem uma águia enorme dentro de si, um coração enorme e o peito aberto para o mundo. Aprendiz de tudo, aprendiz da vida. Artista por natureza. Em constante transformação, sem perder a essência.

 

02: O que é o amor ?

 

Sinceramente, eu não sei responder essa pergunta. Não sei definir o amor. Acho que ninguém sabe. A gente apenas sente. Sente que gosta de uma pessoa e precisa dela. Sente que quer fazer essa pessoa feliz. Basicamente, é mais ou menos isso, eu acho.

 

03: O que o sexo representa pra você como prazer físico e poético ?

 

O sexo pra mim é o elo entre duas almas. Não importa o grau de afetividade. Sexo bom é aquele feito sem preocupação com nada, praticando com carinho de ambas as partes. É uma troca. É feito com arte. Pra mim ( agora falo de mim ) é pura vaidade, dando lugar ao orgasmo.

 

04: Qual o significado do teatro na sua vida ?

 

Teatro, pra mim, é a própria vida. E vice-versa. Eu faço teatro porque é a única coisa que eu sei fazer de verdade. É minha válvula de escape, seja ele em prática ou mesmo em teoria. Envolve criação e corpo. Envolve a alma toda ! Teatro é fantástico !

 

05: O que sente quando está no palco ?

 

Calafrio. Isso é o que sempre sinto. De resto, procuro não pensar em nada, a não ser no personagem.

 

06: 10 coisas que gostaria de fazer antes de morrer ?

 

Saber aproveitar bastante a vida; ser atriz profissional; conhecer pessoas que eu considero ilustríssimas no meio artístico e trocar muitas ideias com elas; dar a volta ao mundo, inclusive no Brasil; ter filhos ( penso que 3 ); conseguir criar meus filhos sem culpa, com maior liberdade e disciplina possíveis; ser diretora de teatro; comprar uma casa antiga e arrumá-la de meu jeito; fazer teatro até morrer; amar até morrer.

 

07: Como gostaria de morrer ?

 

Não sei exatamente. O que sei é que gostaria de morrer tranquila, sem arrependimento de nada, com todas as dívidas pagas ( não me refiro a dívidas financeiras, mas dívidas sentimentais, afetivas e de carreira ). E que seja uma morte leve e indolor em todos os sentidos. Quem sabe morrer como Vinícius de Moraes ? Numa banheira, mas aí eu trocaria o uisque por um vinho do porto. Ouvindo rock e comendo uvas. Isso depois de ter um almoço ( lazanha, torta holandesa de sobremesa ) agradabilíssimo com as pessoas que eu mais amo.

 


 

 

 

 


Escrito por Jovino Machado às 20h00
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Perfil

Meu perfil
BRASIL, Sudeste, BELO HORIZONTE, BARROCA, Homem, de 36 a 45 anos, Portuguese

Histórico